Yaël Naïm

Quando eu marquei a data da viagem uma das primeiras coisas que fiz foi checar o calendário da Yael Naïm pra ver se daria sorte de ela estar se apresentando em algum lugar perto daqui. Desde que um amigo com muito bom gosto musical apresentou-me, virei fãzona.

Complicações de sempre, o show não foi em Paris, mas numa cidade a 14 km chamada Noisy-le-Grand. A parte boa é que a estação de trem ficava perto do teatro, a parte ruim é que era tudo o que eu sabia sobre a cidade.  Se era uma periferia ruim, perigosa, com risco de morte, eu não tinha a menor ideia. Mas eu que não seria louca de perder a chance.

Programei para chegar lá bem cedo, durante o dia, pra ver bem o caminho e não ter perigo de sei lá, me perder. Mas Noisy-le-Grand é uma subúrbio residencial pequeno e fofinho, e foram esses lugares que eu atravessei até chegar ao teatro:

     

Achei que a platéia seria composta de um público bem alternativo, e acabou sendo alternativo até pra minha expectativa: como tinha crianças! Ao meu lado sentaram dois meninos que foram com o pai. Eu já tava achando que tinha errado de teatro e que lá rolaria algum Cocoricó francês, mas é isso, na França Yael também é programa infantil.

Ir a este show foi mais uma vez a constatação que esse país esbanja cultura, o teatro era desproporcionalmente maior que o tamanho da cidade, e a programação é excelente. Talvez não seja nada anormal aqui, mas é impossível  um brasileiro não notar.

Se ouvir o CD e assistir seus clips já é uma atividade deliciosa, assisti-la ao vivo consegue ser ainda melhor. Ela toca piano, toca violão, dança, brinca com a platéia, volta pro piano e deixa todo mundo sem fôlego com o talento que tem.

Eu tentei filmar alguma coisa do show, mas como era proibido e sempre tinha algum fiscal por perto, tive que disfarçar a câmera. Portanto perdoem a filmagem que ficou uma droga. O que vocês veriam é Yael e a banda (+3) sentados em micro banquinhos, e David Donatien tocando em um piano de brinquedo. Ouçam aí:

No final consegui filmar um pouco melhor, pois já era a segunda volta dela ao palco e já tinha perdido o medo de me jogarem pra fora do teatro. Mas o vídeo vai pra um futuro post.

A tietagem acabou aí, pois o mais próximo que eu consegui de tirar uma foto com ela foi isso aí abaixo.

O caminho da volta foi BEM escuro, e em alguns lugares eu passei quase dentro dos quintais das casas, como aqui:

Mas voltei sã e salva, ninguém me atacou, levou minha bolsa ou minha dignidade embora. E eu risquei mais um item da minha lista.

Anúncios
Categorias: Cultura | Tags: , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Comente aí

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: