Comendo bem e barato

A melhor parte da comida de Paris é que lá nada engorda. NA-DA. Você pode comer o dia inteiro e no final do mês o saldo na balança será negativo. Isso é possível porque VOCÊ VAI CAMINHAR FEITO UM PESTIADO CONDENADO À MORTE.

Isto posto, vamos a um guia prático de como comer bem e barato sem precisar assaltar o sopão dos mindingo. Exatamente, aqui não é um guia dos restaurantes chiques, para isso recomendo que você procure o blog de uma dessas pessoas phynas e rycahs que vão pra lá comer nos estrelados do Guia Michelin.

Aqui você encontra alternativas até saudáveis, bem gostosas e bem baratas para situações hipotéticas mas muito realistas, como bater aquela fome desgraçada no meio do dia mas você achar abuso deixar pelo menos 15 euros num restaurantezinho meia boca pra turista. Então você corre pro:

ói que fófis, fui procurar uma foto e achei esse em que por acaso comprei coisas no dia da visita do Museu Carnavalet

LE MARCHÈ – O supermercado é seu melhor amigo, amigo. Tinha um Carrefour num shopping ao lado de casa, zoado que nem os daqui mas com algumas coisas bem legais que ou não se encontram nas terras de cá, ou quando existem são vendidos em barras de ouro que valem mais do que dinheiro. Mais pro centro vão sumindo os mercados maiores e pipocando os mercadinhos. As vezes eles são tão inhos que cabem no seu quarto e o caixa é o único funcionário (provavelmente proprietário), preso num quadradinho de 50cm² onde ele pesa as suas bananas, registra suas compras e fica ali vendo a vida passar.  Os inhos inhos se chamam épicerie, como esse aí ao lado. As frutas normalmente são lindas, compre muitas para uma temporada saúde.

Mercadinhos até vendem baguetes, mas deixe pra comprar o seu pão nas boulangeries (padarias, aula de francês di grátis), vai por mim. No mais compre tudo, enfie na bolsa e coma quando der fome. Nos nem tão inhozinhos você encontra sanduíches ou saladas prontas que já vem com garfinho.

Até quem não gosta de queijo muda de ideia numa Fromagerie

Gente, as saladas são muito boas, sério. Por €2  eu comprava uma salada de peito de frango com alface e cenoura, e molho no potinho pra misturar na hora. Super econômico e você almoça sentado no gramadão do parque, junto aos milhares de outros franceses que fazem isso sem constrangimento algum. Os mercados vendem os melhores queijos do mundo por um preço ridículo, e você passa o mês comendo queijo Brie com preço de mussarela.

Se por acaso você está procurando uma experiência assim mais GASTRONÔMICA com seus queijos, procure as fromageries. São de ficar maluco e você começa a considerar comer aquele mofo recheado de bolor. Não, eu não comi, tenho princípios e não como coisas vivas além dos lactobacilos do Yakult.

lindo mofo esperando para ser apreciado por pessoas sofisticadas

Já falei dos iogurtes? Socorro, são muito bons. É muita variedade, muito sabor diferente. A parte ruim é que você vicia em iogurte de cereja e nunca mais acha aqui, só muito de vez em quando que a Activia resolve ajudar você a ir ao banheiro com gosto de cereja.  Viciei mesmo foi no arroz doce de potinho, ai que pobreza. Tem creme brulée mas nem  tente, já que a casquinha de açúcar tem que ser feita na hora pra ficar durinha.  Mas coma um de verdade numa confeitaria, é muito bom.

Se ISSO vira iogurte, deviam fazer iogurte de alface também. Vou sugerir.

 O único  iogurte ruim que eu comi (bem feito pra mim) foi o de ruibarbo.  Mas olhando pra essa foto ao lado dá pra entender que se você decide comprar um iogurte feito de um VEGETAL não pode nem reclamar que o bicho é ruim. Comi os últimos 2 potinhos sem respirar, no dia de vir embora,  só pra não jogar fora. Mas o povo lá gosta de ruibarbo e enfia nos doces, fazer o quê. Se você falar mal corre o risco de ser taxado de preconceituoso e ignorante.

Se jogue nos chocolates,  que são maravilhosos e baratinhos, vale a pena comprar de dúzia. Se sobrar traga de souvenir prosamigo.

Então acaba o dia, você já fez um piquenique bacana com seu baguete recheado com Brie ou com a saladinha de frango, sentado na beira do Sena ou num banquinho do Jardin des Tuileries, e vai dando uma fome de algo quente. Você não quer gastar no restaurante nem apelar pro Crèpe de Nutella de novo, o que você faz? Corre pro

picardPICARD – Se tem uma loja que cabe no coração é esta rede de congelados. Por umas merrecas de euros  você compra um jantarzinho de microondas muito digno e honesto. Tem por todo canto, você sabe que é bom porque os franceses enjoados também comem, e é bom mesmo. As porções individuais vão desde sushi (esse não provei) a comida indiana e pratos tradicionais franceses. Se você está em um pequeno bando eles tem porções família que ficam ainda mais em conta. O único porém é que você precisa um microondas à disposição, né. Vale pra quem aluga um apê ou fica em casa de família, como  moá. Esse aí ao lado é um salmão com purê de batata por €3,75, uma ótima opção pro seu jantar (apenas jantar, pufavô, voltar pra casa no meio do dia pra esquentar comida é algo impensável).

Fique atento que os supermercados de Paris não dão sacolas. Tive que carregar uma caixinha da Picard na mão por duas quadras e meus dedos caíram. Acabei comprando uma sacolinha retornável daquelas gigantes, que dobradas ficam do tamanho do seu celular e você esconde na bolsa, ela me salvou e hoje é uma grande aliada nessa São Paulo que também não distribui sacolinhas. Então compre uma por aqui mesmo se não quiser sair do mercado equilibrando a caixa de sucrilhos e  o leite na cabeça, e o pão embaixo do suvaco. Se bem que pra esse último ninguém nem vai dar bola.

Anúncios
Categorias: comida, Informações práticas, Mão de vaca | Tags: , | 21 Comentários

Navegação de Posts

21 opiniões sobre “Comendo bem e barato

  1. Anônimo

    to loko procurando infor de paris e aki foi a melhor, mais divertida… parabenssssss,,,

  2. milena

    LIZZI, TUDO BEM, MEU NOME É MILENA E ESTOU QUERENDO PASSAR UM MES APRENDENDO FRANCES EM PARIS, GOSTARIA DE SABER COMO VOCE ARRUMOU A CASA DE FAMILIA QUE VC FICOU. VOCE ACHOU QUE FOI BOM??OU TERIA UMA OUTRA OPÇAO?

    • Oi Milena, se você vai por escola tem também a opção de apartamento de estudantes, você fica com um quarto só seu e compartilha o resto da casa, fica até mais em conta do que casa de família. Dependendo da escola tem também a opção de dormitório de faculdade, mas aí só vale em meses de férias. Se quiser ver sozinha tem um site ótimo, o http://www.airbnb.com, que meus amigos europeus usam direto. Você pode alugar um quarto ou um apê inteiro. Já sabe pra qual escola você vai? Se tiver mais dúvidas mande ai! Beijão!

  3. camilarl

    Muito legal o seu blog. Recentemente visitei Paris e adorei. Comecei a escrever algumas coisas a respeito http://oxigenacao.wordpress.com Bjs

  4. Alanna.

    Lizzie, to aqui há 14 dias e ainda não vi esse picard…meu objetivo de vida é achá-lo agora…rsrrs…qto às saladas e iorgutes, super concordo (aqui como tomate cereja como se fosse brigadeiro) e os iogurtes bons são bem baratos…o problema é que o calor chegou, aí a gnt não resiste a um sovertinho na rua…e to tomando uma quantidade de cerveja q nunca tomei na vida…rsrsr

    tb quero provar comida árabe…=)

    E as calças já estão apertando…rsrsr

    • Alanna, já encontrou a Piccard? Olha, minhas calças não chegaram a apertar porque eu andava feito uma condenada e queimava tudo. Beijo!

  5. Jacqueline

    Lizzie, minha companheira de viagem seguia literalmente esse seu estilo. A gente ia no monoprix bem em frente ao apê, comprava tudo ali e fazia almoço, caminhava até a noite e voltava para jantar no apê. Resultado: trouxe metade dos euros de volta, mesmo tendo que comprar mais duas malas pra carregar as roupinhas adquiridas. Comíamos muito espetinho a 1.25 e galinha assada a 5.50euros. Caminhávamos até não aguentar mais e aí pegávamos táxi. Foram muitos euros em táxi até descobrir o metrô. Da próxima é sem táxi também.
    Mas o que eu adorei foi o leite em pó. Aliás, o fechamento da caixinha. Trouxe uma para mostrar em casa. E trouxe também pain au chocolat. Me entupi do tal pain. Passamos longe dos restaurantes, mas da próxima entro num pra conferir.
    E sobre a área de Montmartre, ficamos bem ali e andávamos lá em cima até umas onze horas sem problema. Adorei e pretendo voltar a alugar por ali mesmo.

    • Olha só, não descobri o leite em pó, vai ficar para a próxima. Mas não é o máximo sobrarem mais euros pras comprinhas? Eu divido viagens entre o PRECISA e o QUERO, e comida normalmente entra no PRECISA, então a não ser uma ou outra extravagãncia que eu realmente faça questão, tô nem aí com comida.Pain au chocolat é TU-DO de bom, apesar de esquisito a primeira vista. Não sei onde você mora, aqui em São Paulo achei um ótimo, mas caro, baratinho só lá mesmo.
      Na próxima vez preciso ficar em Montmartre e fazer de lá minha casa, nem que seja uma semana. Senti que negligenciei demais aquela área, viu? Beijo!

  6. Augusto Souza

    Oi Lizzie. Lendo seu blog, vi que você morou bem próximo mesmo de onde vou ficar. Ficarei no hotel Bercy Rive Gauche, na Rue Regnault. Alguma dica legal? Valeu!

    • Oi Augusto! Olha, acho que dá pra pular toda essa parte do 13eme, viu? Tem a Biblioteca Nacional ali pertinho, mas a cidade tem muito mais pra oferecer. Eu amei a região em volta da Sorbonne, no 5eme, que é o próximo bairro. Não deixe de passear pela Rue Mouffetard, ali do lado, e dar um rolê de bike, no post “indo de lá pra cá” eu ensino como. Qualquer coisa é só gritar!

      • Augusto Souza

        Eu já dei uma volta no google street view pelo bairro. Vi que é um bairro altamente oriental. A noite do bairro é tranquila? Dá pra ir e vir na paz de metrô à noite? Valeu pela dica da Rue Mouffetard e da bike.

        • Meio balela esse papo de oriental, viu? Também sai daqui com essa impressão mas em um mês não vi nada de multidões orientais zanzando por lá. Não lembro de nenhum, pra falar a verdade. Talvez seja coisa de algumas quadras bem específicas e mais longe, já que o 13eme é bem grande. Rodei muito por lá a noite é é bem tranquilo, pode andar de metrô sem medo. As linhas param a meia noite, mas nas estações tem o mapinha dos ônibus madrugueiros e os pontos. Dá um certo pavorzinho porque é muita informação, mas nada que não seja administrável. As únicas áreas mais turísticas que eu ouvi de problemas a noite foram Montmartre e nos Champs de Mars, ao lado da Torre Eiffel (por ser muito escuro), mas não vi nada, foi só de ouvir mesmo. Você vai ouvir muito de batedores de carteira nos metrôs, mas não é nada pior do que andar no metrô de São Paulo. É que o povo lá é bem relaxado, anda de mochila aberta e tal, então seguindo as regras básicas de segurança você fica bem.

          • Augusto Souza

            Massa! Valeu pelas dicas, Lizzie! Tenho certeza que vou gostar bastante da cidade. Minha futura esposa já ama sem nem ter ido, tenho certeza que ela ficará doida por lá hahahaha.

            • Legal Augusto, depois me conta como foi a viagem! Abraços!

              • Augusto Souza

                Oi Lizzie! Desculpa a demora. Olha, Paris foi muito mais do que imaginei. Minha mulher, que já amava sem ter ido, voltou porque eu arrastei. Pra falar a verdade, quase que eu fico por lá também hahahaha.
                O hotel é bem localizado, perto de 2 estações do metrô de linhas distintas. O bairro era bem oriental, com uns condomínios com vários apartamentos só com orientais, parecidos com aqueles que apareciam no Jaspion.
                Gostei muito do metrô. A linha 7, que eu peguei mais, os vagões não eram novos, mas bem conservados. Todas as estações muito bem sinalizadas, algumas um pouco sujas, mas nada que incomodasse.
                A única área que não gostei foi a de Montmartre. Acho que não estava num bom dia e o lugar estava parecendo uma máfia turca, uma galera meio barra pesada numa praça que fica descendo a Sacre Coeur fumando altos baseados e talz. Foi a única vez que nos sentimos inseguros por lá, mas não aconteceu nada, deixaram a gente passar numa boa, sem piadinha nem nada.
                A receptividade dos franceses foi algo que me surpreendeu. Sempre rola aquela conversa que francês é chato e xenófobo, mas com a gente não foi nada disso. Minha mulher fala bem o idioma e acho que isso ajudou bastante.
                Lendo nos blogs antes de viajar, notei que o pessoal reclamava muito dos preços altos, que tudo era caro e tal. Bem, Paris é uma cidade que você paga caro se quiser. Comemos em altos restaurantes no esquema “Entrada + Prato” ou “Prato + Sobremesa” variando entre 12 e 15 euros. A gente jantava a velha baguete, coisa de 5 euros. Fomos em alguns mais caros, como o Cafe de la Paix, o Chez Francis, mas, na real, os de rua mais simples são os mais legais. Usamos a dica das saladas prontas que vendem nos supermercados. Muito gostosas e baratíssimas. Compramos no Monoprix. Ah, e o famoso biscoito LU…
                Resumindo, Paris me surpreendeu muito. Penso em refazer a viagem antes de conhecer outro lugar. Ainda tá cedo para decidirmos isso, mas tudo tá levando pra isso mesmo. Estamos tentando convencer alguns casais de amigos a irem com a gente para dividirmos um apartamento por lá. Com certeza vai ser mais legal que ficar em hotel.
                Muito obrigado pelas dicas!

  7. Este post (e o blog todo) me lembra isso aqui: http://www.youtube.com/watch?v=CRtwnD4hkIo (sobretudo aos 10min)

    • Exatamente! “Vou pagar um jantar em Paris? Claro que não, eu pago um salgado, não uma noitada”! Hahahahah, muito bom, onde raios você acha essas coisas?

      • Não sei. Essas coisas é que me acham.

        Mas esse aí passa no Multishow (terça, 22h30). Esse cara é muito bom.

        Nada a ver com o blog, mas vou fazer uma observação…

        Obs.: recomendo especialmente dois personagens dele, que inclusive aparecem nesse vídeo: D. Hermínia e Sra. dos Absurdos (esse último principalmente).

  8. Anônimo

    “Se tem uma loja que cabe no coração é esta rede de congelados”.

    Sempre soube que seu coração era um freezer.

    “se não quiser sair do mercado equilibrando a caixa de sucrilhos e o leite na cabeça, e o pão embaixo do suvaco”.

    Outra ideia é colocar o queijo no suvaco e, se tiver com cc, colocar a culpa nele.

  9. Oi Lizzie

    Adorei as dicas, quero poder segui-las na minha próxima visitinha à Paris, porque nem te conto, mas passei uma semana praticamente à pão e água!!!! Sério, sem exageros, a pessoa travou gastronomicamente, que ódio!!

    Só comi baguete, água (aquele suco de laranja horrivel parei de tomar no segundo dia senão eu ia morrer!!) e os deliciosos iogurtes no café da manhã 🙂 A unica vez que posso dizer que comi, foi no restaurante Le Pharaon em frente a Printemps, era frango (frio), salada e batata frita, só!

    Mas na próxima eu vô come o dia inteiro, de tudo!!! e gastando menos e melhor ainda né? hehe

    Eu ia no Monoprix, tinha uns lanches muito bons lá também.

    Bisous

    • Oi Vania, então, quando a gente não tá exatamente cagando dinheiro tem que colocar prioridades, e restaurante definitivamente nunca é uma das minhas. Fui em um restaurante de verdade, com entrada, prato principal e sobremesa uma única vez, foi caro e nem valeu tanto a pena. Fora que como eu estava sozinha dava dó de ir nos restaurantes! Eu olhava pra eles e pensava “como aí na próxima viagem quando o Alexandre estiver junto”. Qual é a graça de comer num daqueles fofos e românticos com amigos do curso, né? Mas olha, esse meu esquema é sussa, pode copiar. E sobram vários euros extras pra comprar coisas na Champs Elysées.

Comente aí

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: