La Recoleta

A Recoleta é o bairro phyno das madames, dos passeadores de cachorros e do cocô de cachorro na calçada, o que complica um pouco a vida dos turistas que não podem olhar a paisagem andando, só parados. Mas é um bairro bonito e tradicionalíssimo na linha do tem-que-ir,  já que é cheio de coisas interessantes. Fizemos o roteiro debutante, que inclui obrigatoriamente:

Livraria El Ateneo

Certeza que você já ouviu falar, todo mundo tem que ir nessa livraria linda que fica num antigo teatro (como o casal muy, muy simpático da foto ao lado).  Como era esperado, fomos e ficamos embasbacados, tomamos um café (caro) fuçando os livros, ainda embasbacados, mas não levamos tudo o que queríamos porque não somos retardados. Os preços não são dos melhores, então se você é rato de livraria como eu, do nível que a mãe dava dinheiro pra roupas e você comprava livros, como eu, controle-se. Minha estratégia foi fuçar o que eu queria, guardar preços e fuçar outras livrarias menos badaladas. Se não encontrasse, voltaria lá. Não precisei voltar, ha!

nível da idade mental

Os preços variam demais de um lugar pra outro, vale a pena pesquisar bastante. O livro que estava 270 pesos lá eu consegui por 199 numa banquinha (Toda Mafalda, ainda não amadureci o suficiente, me deixem).

Se você gosta de cinema argentino, há bastante variedade de devedês, mas a filial da Calle Florida ainda tinha bem mais títulos, apesar de ser menos charmosa. Só um dos filmes da lista não encontrávamos de jeito nenhum e tivemos que fuçar vários becos até encontrar (se você estiver  à  procura de Nove Rainhas, ou Nueve Reinas, do glorioso Ricardo Darín, me pergunte e eu te vendo a localização de onde comprar). Saindo de lá e andando algumas quadras você chega no…

Cemitério da Recoleta

O mais famoso condomínio de pés juntos da cidade, residência final dos portenhos ricos e famosos, vários ex presidentes e outros ilustres habitantes menos conhecidos.

O túmulo da Evita é facim facim achar, é o único com multidões. O fascínio que esta senhora ainda desperta naquele povo é algo que nem a ficção científica previu. Ela está enterrada no terceiro subsolo, e o túmulo é protegido contra bombas (ai). Mas isso é fichinha perto da história surreal que certou sua morte:

tchorando mucho com a Evita ( e atrás é uma rosa, não um pompom,                           já passei dos  5 anos)

1 – foi embalsamada, com a intenção de que ficasse sempre perto dos seus descamisados;

2 – o monumento planejado para guardar seu corpitcho (não construído graças a algum surto de sensatez, talvez) tinha o tamanho de TRÊS Cristos Redentores;

3 – o corpo desapareceu durante um dos muitos golpes, e ficou sumido por 3 anos.

4 – durante esse tempo, supostamente só dois soldados sabiam do paradeiro em Buenos Aires, e um deles resolveu abusar sexualmente da Evita cadáver(mil vezes eca);

5 – o corpo reapareceu, mudou pra Milão, ficou lá 14 anos e finalmente o viúvo Perón o levou para sua casa, para viver com ele e a esposa atual, e o colocaram num balcão ao lado da mesa de jantar, pra enfeitar;

6 – finalmente deram um destino decente pro corpo e foi transferido pro túmulo que sua família construiu com o dim dim que Perón mandou.

A gente sabe que cada cultura encara a morte de formas diferentes e tal, mas nada no mundo me preparou pro TERROR que Recoleta causou em mim. E olha que eu não tenho medo de cemitério, tô nem aí com as seis milhões de caveiras das catacumbas de Paris, mas A-PA-VO-REI. E a razão são esses bonitos caixões aparecendo nos mausoléus, pelo cemitério inteiro.

Minha gente, QUE QUE É ISSO????? Caixão foi feito pra ficar embaixo da terra ou escondido atrás de placas de concreto, não assim à vista, coberto apenas por uma prosaica toalhinha que as vezes balança no vento que vem da vidraça quebrada e parece que alguém vai levantar dali na mesma hora. Num guentei, catei um guia pelo braço e ele confirmou que é isso mesmo, aqueles são os caixões reais com pessoas dentro, a única diferença dos nossos é que eles são forrados internamente com placas de metal pro material orgânico chamado cadáver (eca) não apodrecer a madeira (eca). Depois dessa eu tava preparada pra encontrar múmias embalsamadas sentadonas em cadeiras e não ia me surpreender.

Agradecimentos ao Aloxondro que sorriu pra foto ficar menos sisuda.

Falando em cadeira, a estátua com a história mais bacana tem um sujeito sentado em uma, essa aí ao lado. Resumindo, o figura era importante na cidade e quando morreu a mulher mandou construir uma estátua em cima da tumba, mas com ele sentado olhando na direção oposta de onde ela seria um dia enterrada, pra se vingar do maridão que um belo dia resolveu mandar uma carta circular pela cidade avisando que não se responsabilizava por nenhuma das dívidas da mulher. Um casal meigo.

Para ouvir mais histórias macabras HOHOHO se informe sobre os horários das visitas guiadas, tem em inglês, espanhol e até italiano.

 

Hora de ver gente viva

Saindo do cemitério e pegando a esquerda, logo ao lado há a Basílica del Pilar, uma igreja como tantas outras, segunda mais velha do país, não vale mais de 5 minutos de visita. Na frente fica uma praça enorme, com feirinhas de artesanato e shows aos finais de semana. Logo ali fica o Centro Cultural Recoleta,  mas acho que tinha alguma bomba lá dentro no dia, já que a polícia mandou a gente dar meia volta. Mais uns passos e fica a casa do Design, mas essa ficou pra próxima.

Atravesse a Plaza Francia na direção oposta ao cemitério e vai dar de cara com uma figueira gigante, e um restaurante bacana em frente que era um ponto de aficionados por automobilismo, o La Biela. Entre pra ver as fotos, o ambiente é muito legal. A comida eu não tenho a menor ideia.

Vi essa cabine telefônica e achei que estava em Londres, porém era só Buenos Aires. Atrás o La Biela.

A melhor rua pra ver o comércio local é a ALVEAR, obviamente confundimos e pegamos uma paralela que não tem nada pra comprar, só uns casacos de couro de 6 mil reais que a vendedora estava animadíssima pra me mostrar (tenho com cara de rica desde quando?).

Gente desse Braze-el, esse post ficará sem final porque voltei a trabalhar, o trabalho enobrece o homem mas acaba com a pessoa, e hoje ainda perdi um casaquinho querido no caminho, ô forma de começar bem o segundo dia de trabalho. Num tô conseguindo pensar muito pra finalizar, não. Mas fiquem ligadinhos, logo eu reacostumo com essa vida de trabalhadora e volto a usar o célebro cérbero cerbelo cabeça.

Anúncios
Categorias: Buenos Aires | 10 Comentários

Navegação de Posts

10 opiniões sobre “La Recoleta

  1. PAULO AMADEI

    FUI A BUENOS AIRES,VOLTEI HOJE AO BRASIL. LÁ ANDAMOS DE TÁXI POR TODA A CIDADE E NÃO TIVEMOS TROCO DE NOTAS FALSAS DE TAXISTAS NENHUM…A DICA FOI QUE NA CASA DE CAMBIO,PEDI QUE FOSSEM BEM TROCADAS EM NOTAS MENORES E APROVEITEI PRA DAR CAIXINHAS AOS MOTORISTAS, ARRENDONDANDO O VALOR ( EM PESOS É INSIGNIFICANTE).
    OS PERCURSOS QUE FIZEMOS DO HOTEL,QUE FICAVA NA RUA JUNIN 357,PARA TODOS OS PONTOS TURÍSTICOS DA CIDADE,O QUE VALEU MUITO A PENA. ESTIVE EM PORTO MADERO,CEMITÉRIO DE LA RECOLETA,MUSEU DE ARMAS,CASA ROSADA,CATEDRAL METROPOLITANA,NAVIO MUSEU SARMIENTO,MUSEU DE ÁGUAS,MUSEU DA CIDADE,CAMINITO, RUA DOS COUROS, MADERO TANGO, (A NOITE SAÍMOS DE NOVAMENTE E FOMOS EM VÁRIOS LOCAIS PARA COMER E TUDO DE TÁXI …) E VA´RIOS OUTROS LOCAIS QUE NÃO LEMBRO AGORA
    MAS NÃO ME ARREPENDO …O PREÇO VALE A PENA E NINGUÉM ME ENROLOU …HÁ HOTÉIS QUE TEM ASSOCIAÇÃO DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE VANS, PARA LEVAR E TRAZER DO AEROPORTO,A MEDIA É DE $100,00 A $150,00.TEM QUE PESQUISAR,O AEROPORTO É LONGE DO CENTRO DE B.A.

  2. Jacqueline

    Telefonar da Argentina e fácil. Tem os locutórios, que são cabides telefônicas, nas quais se vai falando e vendo quanto esta gastando. Quando se acha que chega de gastar pesos, se da tchau, beijinhos, bye-bye. E barato.

  3. Olá Lizzie, tudo bem???

    Deu a louca aqui e vou mesmo para Buenos Aires mês que vem uhuuuu!!!

    To pegando várias dikitas suas aqui, valeu mesmo 🙂

    só queria saber mais umas coisinhas se não te incomodar claro hahaha

    Vc usou metro ou onibus ou taxi?? Tava lendo por ai e parece que o metro é meio capenga huahua e que o onibus tem que ter as moedinhas contadas e que os motoristas de taxi dão notas falsas O_o então o que fazer??? to em duvida não sei em que acreditar hahaah (claro que minha opção numero 1 é andar né…..mais né….hehe)

    Outra coisa é o telefone …. nem me fale que em Paris eu destrui milhões de crédito numa mísera ligação pra contar pra minha mãe que eu tinha chegado sã e salva lá, e depois fiquei sem celular o resto da viagem (maledeto roaming internacional) mas fiz a festa nos “orelhão” haha será que em Buenos Aires também compensa mais os orelhão??

    Até mais!! Bjos !!

    • Oi Vania! Olha, não tenho a menor ideia de como fazer com telefone, não liguei pra ninguém de lá! O que faço é sempre levar laptop e conversar se preciso por skype, todo canto tem internet mesmo.
      Andamos foi mais a pé, mas o metrô é tranquilo, é meio capenga sim mas nada assustador. Não deixe de visitar a estação Peru da linha A, é a mais antiga da cidade e fofíssima, foi restaurada pra ficar com cara de antigamente. Os vagões da linha A são velhos mas super charmosos, as janelinhas abrem e tem trinco na porta. ônibus é bem tranquilo, só lembre de carregar várias moedas de 1 peso e não perca o recibinho, ou você pode ser multada. Táxi eu só peguei os que chamei de dentro hotel ou pelo aeroporto, ouvi muitas histórias de gente enganada por taxistas de rua e não quis engrossar as estatísticas. Já sabe onde vai ficar? beijo!

      • Oi Lizzie,
        Obrigada pelas dicas! eu vou ficar num hotel na Av. Pueyrredon, que fica na tal Recoleta, é bacana, mas já tô vendo aqui que tá um pouco longe do Centrão, de Puerto Madero e principalmente de La Boca, vou ter que me deslocar até lá, depois andar até não sentir mais as pernas e depois pegar transporte de novo para o hotel. Mas acho que metro e onibus tá valendo sim 🙂

        Bjos, brigadão !!

  4. lindo o pompom. vou comprar um pra minha sobrinha

  5. Jacqueline

    Também adoro Mafalda. Vale um compêndio de Filosofia.
    Nunca fui ao cemitério da Recoleta. Não curto mesmo esse turismo. Mas esses caixões expostos me pareceram muito interessantes pra quem sofre de claustrofobia.
    O que não deixo de ver por lá, é a fachada do Sahara. Cada vez que vou tiro uma foto ao lado do Indiana Jones de motocicleta. Ele já está caindo aos pedaços, mas minhas fotos estão cada vez melhores.

    • PAULO AMADEI

      NA VERDADE O CEMITÉRIO É UMA OBRA DE ARTE A CÉU ABERTO…OS CAIXÕES ESTÃO EXPOSTOS SOMENTE EM ALGUNS MAUSOLÉUS,PORÉM A MAGNITUDE DAS ESCULTURAS E AS OBRAS DE ARTE ,NOS FAZ ESQUECER A LEMBRANÇA DA MORTE E ME FEZ MERGULHAR NUMA CÁPSULA DO TEMPO.
      FIQUEI IMAGINANDO COMO VIVERAM E O QUE FIZERAM….O LOCAL É GLAMOROSO….
      HÁ MUITAS ESTÁTUAS REPRESENTANDO OS PERSONAGENS MAIS IMPORTANTES DA HISTÓRIA ARGENTINA,ANTIGOS GENERAIS E ALMIRANTES,SOLDADOS,ADVOGADOS,POLÍTICOS,É MUITA GENTE……

Comente aí

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: